domingo, 4 de setembro de 2011

Destino!!!

Era uma Amor fadado a um desfecho trágico, um Amor amaldiçoado por entidade poderosa!!!

E ela, desde o princípio, soubera disso e, mesmo assim, resolvera arriscar com determinação e fé cega que só o Amor, esse sentimento que nos faz agir assim, poderia proporcionar!!!

Durante uma caminhada pelos campos cultivados o encontrara cuidando da plantação; ao ver aquele homem altivo, de belo porte, semblante másculo e, ao mesmo tempo, tão delicado sentira em seu peito um estranho ardor, era, embora na hora não sabia, o Amor que ali se instalava, tão repentinamente que na certa era obra do travesso Eros com suas flechadas!!!

Ao ver aquele homem dedicado ao seu labor, resolvera se aproximar com uma desculpa qualquer, aliás como qualquer mulher faria nesses casos; perguntou algo sobre as videiras que o homem cuidava e esse, ao levantar a cabeça e olhá-la para responder, pareceu sentir o mesmo ardor no peito que ela sentira e, ao começar a responder, sentiu que sua voz falhava!!!

Realmente, Eros devia estar fazendo suas travessuras, pois os dois mal conseguiam articular alguma frase que fizesse sentido, que dirá conversar; a atração que sentiam de colarem seu corpos, de fundirem ambos em um só ser os impedia de qualquer ato racional!!!

A emoção irradiava de ambos e a ambos atraia um para o outro dispensando os rodeios de palavras, de desculpas, enfim, de qualquer justificativa!!!

Eram apenas dois seres desejosos de se fundirem em um só!!!

E assim aconteceu!!!

Entregaram-se um ao outro como uma solene ofenda posta no mais sagrado dos altares na mais pomposa das cerimônias; ele depositou sua oferenda no altar do corpo dela e ela o fez no dele e celebraram a conjugação dos corpos, a perpetuação da Vida, o divino e profano ato de fazerem Amor!!!

Mas aconteceu que aquele homem não era um homem comum; era um dos deuses menores que serviam a Ceres, Deusa das Plantações, e esta estava observando-os o tempo todo!!!

Indignada com tal atrevimento daquela simples mortal que ousava aproximar-se de seu serviçal distraindo-o do trabalho ainda o seduzira!!!

Disposta a castigar com a morte a ousada mortal, aproximou-se, porém no momento que ia desferir o mortal golpe notou, meio escondido entre as videiras, o travesso Eros, então teve consciência de que a mulher poderia não ser totalmente responsável pelo que estava acontecendo diante de seus olhos; certamente tudo aquilo tinha sido provocado pelo travesso Deus do Amor!!!

.


Resolveu que a punição não seria a morte, e sim outra que perpetuasse, de alguma forma, aquela mulher como alerta para que outras não ousassem fazer o mesmo, ou se deixarem envolver com semideuses, com esses seres perfeitos, mesmo vítimas das travessuras de Eros!!!

Resolveu, como Senhora das Plantas, que em toda geração vindoura e em qualquer lugar onde crescesse um vegetal, haveria de nascer uma planta que guardasse a forma tão feminina daquela que amara seu súdito!!!

E, desse modo, essa árvore surgiu no meio da mata!!!



Nenhum comentário: