segunda-feira, 14 de julho de 2014

Tempo!!!

Tempo, o que lhe fiz para que seja
Tão ingrato comigo?
Não vê que meu coração deseja
Que eu esteja nos braços dela, no abrigo
Seguro de seu cálido colo?

Então, por favor, passe mais rápido
Do que a lerdeza com que passou
Esse mês que mais parece um século!!!
Só me resta sentar e esperar como um inválido
Que nada pode fazer a não ser esperar
A hora do embarque e ouvir, finalmente, que chegou
O momento de nela me aconchegar!!!




Nenhum comentário: